tiebreak

Tiebreak no tênis – As regras que você precisa saber

Apesar de mais justo e menos “loteria”, o tiebreak é a disputa de pênaltis do tênis. Entenda como funciona!

Assim como acontece no Padel, Beach tennis e muitos outros esportes, o tiebreak no tênis tem como principal função definir de forma rápida o vencedor em uma disputa entre dois jogadores, ou duas duplas, que esteja empatada até determinado momento. Ele foi inventado em 1965 por Van Alen, fundador do Hall da Fama do tênis. O termo tem origem inglesa, e significa, traduzindo ao pé da letra, quebrar empate ou desempatar.

O tênis não é um esporte simples, qualquer leigo no assunto que pare para assistir um jogo fica completamente perdido com a pontuação. Com o tiebreak não é muito diferente, ele é cheio de regras e particularidades. Mesmo tenistas experientes, algumas vezes têm dúvidas e cometem erros na contagem, na ordenação dos sacadores, nas trocas de lado e em outros pontos fundamentais.

Para clarear estas dúvidas, vamos explicar cada um destes detalhes, apresentando, ao final, um resumo das principais regras.  Também vamos falar sobre o tiebreak nas duplas, nos torneios Grand Slam e sobre o principal motivo para sua existência. Vamos lá?! 😉

Quando ocorre o tiebreak

Para entender o momento certo de se disputar um tiebreak, é preciso saber que uma partida de tênis é disputada em melhor de três ou cinco sets e que cada um destes sets é formado por gamesEntender melhor a forma de pontuação do tênis.

Via de regra, em qualquer set, o jogador que faz seis games primeiro vence, porém, este deve ter ao menos dois games de vantagem sobre o adversário. Portanto, é natural um set terminar com um dos seguintes resultados: 6×0, 6×1, 6×2, 6×3 ou 6×4. Caso fique empatado em 5 games a 5, o set “ganha” um game extra, e o tenista deve chegar a sete games para vencer. Se empatar novamente em seis a seis, aí sim, é momento de disputar o tiebreak!

Note que estamos considerando um set oficial, de seis games, utilizado nos torneios profissionais e na maioria dos amadores. Existem também os sets longos, de oito ou nove games, por exemplo, onde o tiebreak é utilizado de forma semelhante.

Como funciona a Pontuação do tiebreak

Diferentemente dos pontos nos games, que são contatos como 15, 30 e 40, no tiebreak eles seguem a ordenação simples dos números, 1, 2, 3, 4 e por aí vai. Vence o tiebreak e, consequentemente, o set, o tenista que fizer sete pontos primeiro, devendo obrigatoriamente ter dois pontos de vantagem. Caso empate em seis a seis, os tenistas continuam jogando até que um deles consiga os dois pontos de vantagem.

tiebreak

Qual a ordenação correta dos sacadores no tiebreak

O primeiro tenista a sacar no tiebreak deve ser aquele que estava recebendo o saque no game anterior. Este primeiro saque deve ser realizado no lado direito do sacador, de 40 iguais.

40-iguais

Em seguida, o saque passa para seu adversário, e, a partir daí, ele é alternado a cada dois pontos. A partir deste momento, a cada troca de sacador, o saque no primeiro ponto deve ser realizado no lado esquerdo do sacador, de vantagem, e o segundo, no direito.

vantagem

Uma dúvida muito comum é a questão de quem vai começar sacando no set seguinte. Seria o jogador que terminou recebendo o saque no último ponto? O que começou recebendo? O que perdeu o tiebreak? Ou o que venceu? Apesar de existirem boas razões para qualquer um destes critérios, a regra é clara e diz que quem começou recebendo o saque no tiebreak começará sacando no set seguinte.

Quando se deve trocar de lados no tiebreak

A troca de lados ocorre a cada seis pontos disputados, 4×2, 5×1 e 6×6 são alguns exemplos de placares onde esta troca ocorre.

A grande diferença para as trocas de lado que ocorrem com frequência ao longo dos jogos é que no tiebreak não há tempo para descanso. O jogador deve seguir andando até o outro lado da quadra e continuar o jogo. Salvo algum problema físico, o jogador não pode sentar e descansar.

Super tiebreak

O tiebreak ainda pode ser utilizado em outros momentos, dependendo da competição, categoria e modalidade. É muito comum vermos o super tiebreak substituindo o terceiro set em jogos de duplas profissionais e de simples amadores. Ele segue exatamente as mesmas regras, com a exceção de que ao invés de sete pontos, são necessários dez pontos para vencer.

super-tiebreak

Duplas

Assim como acontece no começo de cada set, no início do tiebreak, as duplas podem alternar entre si, tanto na ordem dos sacadores quanto na dos recebedores.

Tiebreak em Grand Slam

O tiebreak passou a ser utilizado na ATP em 1970, tendo sua estreia no US Open. Hoje em dia é utilizado em todas as competições.

Nos torneios Grand Slam, com exceção exatamente do US Open, apenas no set decisivo, não existe o tiebreak. O tenista deve conseguir dois games de vantagem no 5º set (quando masculino) para vencer a partida, não importa quão longo se torne o set.

O motivo da sua existência

É importante entendermos porque existe o tiebreak no tênis. Será que não seria mais interessante e justo eliminá-lo? Por que fazer uma disputa rápida para determinar o vencedor, quando o jogo está tão acirrado e emocionante? Bem, estas perguntas podem fazer bastante sentido, porém existe um motivo mais forte que o torna essencial:

Como no tênis não existe limite de tempo, o jogo somente encerra quando alguém atinge o placar necessário para vencer e, por ser necessário dois games de diferença para fechar cada set, estes jogos podem ser bem longos. Os jogos de tênis masculino em um Grand Slam por exemplo, geralmente duram duas, três, quatro horas.

Já pensou se não existisse o tiebreak e em todos os sets os jogadores tivessem que jogar até que um deles confirmasse dois games de vantagem? Muitos destes jogos poderiam facilmente passar de três para cinco, seis horas de jogo. Imagine os jogos do Karlovic, que têm quase todos os sets definidos em tiebreak? Ficaria inviável para os tenistas, que não aguentariam fisicamente. Também não seria ideal para os espectadores, que precisariam parar um dia inteiro para assistir uma partida. Veja a seguir dois exemplos reais do que estamos falando:

  1. Em 2015, na Copa Davis, competição que, assim como a maioria dos Grand Slam, não utiliza o tiebreak no 5º set, Feijão defendeu o Brasil em uma partida que durou seis horas e quarenta e dois minutos, contra o argentino Leonardo Mayer. O resultado da partida foi 7×6, 7×6, 5×7, 5×7 e 15×13;
  2. Em 2010, John Isner e Nicolas Mahut fizeram uma partida de onze horas e cinco minutos em Wimbledon. O resultado deste jogo foi 6×4, 3×6, 6×7, 7×6 e 70×68. Já pensou se não tivesse tiebreak no terceiro e quarto sets deste jogo???

Um resumo final

Como vimos, o tiebreak é essencial para o tênis e é de extrema importância que você entenda bem suas regras. Vamos deixar aqui um pequeno resumo das principais regras que citamos, para facilitar:

  1. Via de regra, ele é disputado sempre que o set empatar em seis games a seis;
  2. Começa sacando quem devolveu o saque no game anterior. No set seguinte, este deve começar devolvendo;
  3. Com exceção do primeiro ponto, o saque é alternado a cada dois pontos;
  4. A troca de lados acontece a cada seis pontos;
  5. Vence o tiebreak o tenista que alcançar sete pontos primeiro, desde que possua dois pontos de vantagem.

Tiebreak no tênis – As regras que você precisa saber
5 (100%)

Compartilhe este post:

2 thoughts to “Tiebreak no tênis – As regras que você precisa saber”

  1. Bem esclarecedora a matéria… porém,
    salvo engano, o US Open, utiliza sim, o tie break para decidir as partidas, estando as mesmas empatadas em 2×2 sets. O Slam que não utiliza o sistema para desempatar as partidas nessa mesma situação é Winbledon, como aconteceu na citada partida de Isner e Mahut Onde foi usada a diferença de dois games para se conhecer o vencedor

    1. Oi Marcelo, tudo bem?
      Talvez não ficou claro da forma que escrevemos… Falamos que os torneios Grand Slam não utilizam o tiebreak no set decisivo, com exceção do US Open! 🙂
      Equipe Rakete

Comentários